SEJAM BEM VINDOS!

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A VOZ DO SILÊNCIO


Sou fã incondicional de Martha Medeiros, leio tudo
o que ela escreve e sempre gosto do que leio.
Porém neste texto que vou postar agora 
ela se superou.
Confiram vocês mesmos.

"Pior do que a voz que cala,
é um silêncio que fala.

Simples, rápido! E quanta força!

Imediatamente me veio à cabeça situações
em que o silêncio me disse verdades terríveis,
pois você sabe, o silêncio não é dado a amenidades.
Um telefone mudo. Um e-mail que não chega.
Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca.

Silêncios que falam sobre desinteresse,
esquecimento, recusas.

Quantas coisas são ditas na quietude,
depois de uma discussão.
O perdão não vem, nem um beijo,
nem uma gargalhada
para acabar com o clima de tensão.

Só ele permanece imutável,
o silêncio, a ante-sala do fim.

É mil vezes preferível uma voz que diga coisas
que a gente não quer ouvir,
pois ao menos as palavras que são ditas
indicam uma tentativa de entendimento.

Cordas vocais em funcionamento
articulam argumentos,
expõem suas queixas, jogam limpo.
Já o silêncio arquiteta planos
que não são compartilhados.
Quando nada é dito, nada fica combinado.

Quantas vezes, numa discussão histérica,
ouvimos um dos dois gritar:
"Diz alguma coisa, mas não fica
aí parado me olhando!"

É o silêncio de um, mandando más notícias
para o desespero do outro.

É claro que há muitas situações
em que o silêncio é bem-vindo.
Para um cara que trabalha
com uma britadeira na rua,
o silêncio é um bálsamo.
Para a professora de uma creche,
o silêncio é um presente.
Para os seguranças de um show de rock,
o silêncio é um sonho.

Mesmo no amor,
quando a relação é sólida e madura,
o silêncio a dois não incomoda,
pois é o silêncio da paz.

O único silêncio que perturba,
é aquele que fala.

E fala alto.

É quando ninguém bate à nossa porta,
não há emails na caixa de entrada
não há recados na secretária eletrônica
e mesmo assim, você entende a mensagem".

Martha Medeiros


terça-feira, 27 de julho de 2010

SOLIDÃO




A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana.

A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo,
o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro.

O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se,
o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.

Vinícius de Moraes





domingo, 25 de julho de 2010

HOMENAGEM AO DIA DO ESCRITOR


Minha singela homenagem aos escritores que
atuam em todas as áreas da comunicação.
Quero deixar aqui o meu carinho e
minha admiração a todos que,
de uma maneiro ou de outra,
exercem este dom maravilhoso
da escrita.

Abraços literários e beijos poéticos!




sexta-feira, 23 de julho de 2010

OS POEMAS

beautiful womans
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Mario Quintana - Esconderijos do Tempo


quinta-feira, 22 de julho de 2010

EU QUERO



Eu quero paz..
Eu quero amor..
Beleza e liberdade por onde eu for..
Toda beleza me atrai..
Todo vento é meu combustível.
A liberdade é minha busca,
E amar meu destino.

¬Carolina Salcides¬


terça-feira, 20 de julho de 2010

HOMENAGEM AO DIA DO AMIGO!


Quem tem amigos tem TUDO!!!
Eu tenho amigos, pois, tenho vocês!!!
Obrigada por vocês existirem...

segunda-feira, 19 de julho de 2010


Enquanto não superarmos
a ânsia do amor sem limites,
não podemos crescer
emocionalmente.

Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é
necessário ser um.

(Fernando Pessoa)


quinta-feira, 15 de julho de 2010

Eu escolhi o amor


Cєrтα νєz, αlgυéм мαŋđσυ-мє
α єѕcσlђєr єŋтrє
σ αмσr,
σ ѕσrrίѕσ,
σ ρєυмє đє υмα ƒlσr,
σ вrίlђσ đαѕ єѕтrєlαѕ,
σ σrναlђσ đαѕ мαŋђãѕ,
α вrίѕα đσ мαr
є νσcê ...
 É clαrσ qυє єѕcσlђί σ αмσr
ρσίѕ, ѕєм єlє, ŋãσ cσмρrєєŋđєrία
σ ѕσrrίѕσ đє υмα crίαŋçα,
ŋãσ мє đєlίcίαrία cσм σ ρєrƒυмє đє υмα ƒlσr,
ŋãσ єŋxєrgαrία σ вrίlђσ đαѕ єѕтrєlαѕ,
ŋãσ ѕєŋтίrία σ σrναlђσ đαѕ мαŋђãѕ,
ŋãσ αρrєcίαrία α вrίѕα đσ мαr є,
σ мαίѕ ίмρσrтαŋтє,
ŋãσ тєrία νσcê ρєrтσ đє мίм.
Đєυѕ cσlσcα єѕѕє мυŋđσ
мágίcσ ασ ŋσѕѕσ αlcαŋcє,
ραrα αναlίαrмσѕ σ
мαgŋíƒίcσ ρrєѕєŋтє
đє єѕтαrмσѕ νίνσѕ


Desconheço o autor



SE...


Se souber agradecer ao invés de só pedir
Se com calma escutar as queixas do teu irmão
Se tiver paciência de esperar a hora certa
Se puder com carinho estender a tua mão...

Se não quiser queimar etapas da tua vida
Se puder ser o mesmo na alegria e na dor
Se conseguir doar sem exigir nada em troca
Se para teus inimigos puder só dar amor...

Se souber no desespero não perder a compostura
Se puder resistir com bravura à solidão
Se conseguir ficar bem longe da discórdia
Aprenderia que tudo na vida tem solução...




segunda-feira, 12 de julho de 2010

Sete partidas,




1 a boca curta
2 o timbre inútil
3 alguns percursos inviáveis
soterrados
sob o peso deslumbrado dos asfaltos
4 intentos e caminhos reduzidos
a um tráfego de cansaços e esquecimento
5 a ilusão horizontal dos olhos
rasando a virtude da água
6 a dolorosa porção de espaço
perimetria do espasmo e dos espantos
enorme convulsão
entre o silêncio e a fábula
7 o gesto insuficiente do coração
entre o mar e o mar como se
mais mundo não houvesse e só
os territórios interiores
fatigados duma melancólica geografia.
as sete partidas duma viagem inflexível
quedam-se à volta de muitas raízes
e duma dramática sedução de flores
onde a luz quebra o viço generoso das sombras
e reforça a intensidade fátua dos perfis suspeitos.
 ( Irene Lucília )

Irene Lucília Mendes de Andrade, é natural do Funchal (1938). Licenciada em Pintura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Professora de Educação Visual.

http://singrandohorizontes.wordpress.com/2009/02/





sábado, 10 de julho de 2010

Destruição



Os amantes se amam cruelmente
e com se amarem tanto não se vêem.
Um se beija no outro, refletido.
Dois amantes que são? Dois inimigos.

Amantes são meninos estragados
pelo mimo de amar: e não percebem
quanto se pulverizam no enlaçar-se,
e como o que era mundo volve a nada.

Nada. Ninguém. Amor, puro fantasma
que os passeia de leve, assim a cobra
se imprime na lembrança de seu trilho.

E eles quedam mordidos para sempre.
deixaram de existir, mas o existido
continua a doer eternamente.
(Carlos Drummond de Andrade) 


Bom fim de semana!


quarta-feira, 7 de julho de 2010

ANTES DO NOME


Não me importa a palavra, esta corriqueira.
Quero é o esplêndido caos de onde emerge a sintaxe,
os sítios escuros onde nasce o "de", o "aliás",
o "o", o "porém" e o "que", esta incompreensível
muleta que me apóia.
Quem entender a linguagem entende Deus
cujo Filho é Verbo. Morre quem entender.
A palavra é disfarce de uma coisa mais grave, surda-muda,
foi inventada para ser calada.
Em momentos de graça, infreqüentíssimos,
se poderá apanhá-la: um peixe vivo com a mão.
Puro susto e terror.


(Adélia Prado)


domingo, 4 de julho de 2010

CARTA DE DEMISSÃO



Quero pedir urgente a demissão, 
Do compromisso banal de ser adulto, 
E me recuso a prestar o velho culto, 
De insanidade, problemas e ambição. 

Retroceder ao tempo da descontração, 
Ir com os ventos, viver cada minuto, 
Com a pureza no olhar, sem nada oculto, 
Correr na chuva, sorrir, deitar no chão. 

Quando o cansaço chegar, dormir profundo, 
Ir passear no sonhar, em outro mundo, 
Brincar de nuvem, num céu que é colorido. 

E extasiado em viver cada momento, 
Quero gritar bem alto, aos quatro ventos, 
Que desse mundo sem cor, fui demitido. 

(Martinho Ferreira de Lima)




quinta-feira, 1 de julho de 2010

Amizades....



Se a todos fosse dado o poder mágico de ler nos pensamentos dos outros, 
suponho que o primeiro resultado seria o desaparecimento de toda a amizade.
Bertrand Russell



Related Posts with Thumbnails
 
Topo