SEJAM BEM VINDOS!

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

domingo, 27 de outubro de 2013

Soneto XXXV

Quando eu morrer e no frescor de lua
Da casa nova me quedar a sós,
Deixai-me em paz na minha quieta rua...
Nada mais quero com nenhum de vós!

Quero é ficar com alguns poemas tortos
Que andei tentando endireitar em vão...
Que lindo a Eternidade, amigos mortos,
Para as torturas Lentas da Expressão!...

Eu levar ei comigo as madrugadas,
Pôr de sóis, algum luar, asas em bando,
Mais o rir das primeiras namoradas...

E um dia a morte há de fitar com espanto
Os fios de vida que eu urdi, cantando,
Na orla negra do seu negro manto...

Mario Quintana 


Photobucket
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails
 
Topo